Documento sem título
   
Buscar por palavra-chave:
     

“ADOLESCÊNCIA: UMA PERSPECTIVA CRÍTICA”.

O objetivo da nossa pesquisa foi o de investigar o ponto de vista que as concepções humanista-compreensiva e marxista tem a respeito da adolescência, e os objetivos específicos resumiram-se em verificar se na adolescência existem fases e características específicas além de compreender a visão sócio-histórica da adolescência. A técnica utilizada como instrumento para a coleta de dados foi a de grupo, onde vinte adolescentes, na faixa-etária de dezesseis anos, foram divididos em subgrupos e responderam em consenso a um roteiro de questões. Os resultados demonstraram a forte influência que o meio social exerce no comportamento, ações e atitudes dos adolescentes.
» download aqui

“EDUCAÇÃO DE VALORES HUMANOS: UM DESAFIO QUE A ESCOLA DEVE SE PROPOR”


“O SENTIDO DA EXISTÊNCIA: UM OLHAR A PARTIR DA TERCEIRA IDADE”

Há uma preocupação cada vez maior com a qualidade de vida, sobretudo quando a média de vida das pessoas está aumentando e não se tem estrutura social e cultural capaz de responder à demanda dos novos problemas que surgem. Objetivou-se com o presente trabalho verificar e aprofundar situações de vida e experiências que de uma forma mais satisfatória do que outras tem contribuído no sentido de conferir ao existir humano mais consistência e profundidade e identificar quais são as opções e ações que preenchem a vida com sentido. A coleta de dados foi realizada na cidade de Belém – PA, junto a seis idosos de ambos os sexos, residentes em asilo e outros morando com sua família. Os entrevistados foram levados a fazer uma revisão da sua vida, procurando identificar os elementos significativos, marcantes, que contribuíram para que a vida tivesse ou não sentido. Os resultados obtidos na pesquisa de campo foram enriquecidos com a reflexão de diversos autores antigos e atuais que tem pensado, pesquisado e escrito sobre o tema em questão. As respostas, apesar de serem posicionamentos muito subjetivos, apontaram para quatro elementos que precisam ser considerados: os relacionamentos, o estudo, o trabalho e o lazer. Há, no entanto, a necessidade de continuidade teórico-crítica nos estudos, considerando outras variáveis tais como diferentes regiões e culturas. Além disso, é importante aprofundar cada um dos quatro elementos apontados (relacionamentos, estudo, trabalho e lazer), procurando estabelecer relações de causalidade a nível individual e social e apontar alternativas que possam melhorar a satisfação com a existência.
» download aqui

A Atuação do Psicólogo junto à família do Portador de Necessidades Especiais: Uma análise descritiva.

O presente trabalho de graduação tem como objetivo analisar a atuação do psicólogo junto à família de portadores de necessidades especiais. Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativo-descritiva, com dados coletados a partir de entrevistas realizadas com três psicólogos com atuação de mais de um ano na área. Foram obtemos consideradas as informações que permitiram analisar como é feita a efetivação em sua área de atuação. Verificou-se que todos os entrevistados destacam a importância tanto da função, quanto à responsabilidade do psicólogo, que dá suporte necessário para a família através de seus sentimentos e duvidas em relação a deficiência, o que diminuirá se o terapeuta estiver disposto a analisar os fatos. Quanto ao papel da família, que irá guiar a criança com necessidades especiais na luta para desempenhar seu papel de ser humano e dá suporte para a estruturação de sua personalidade, toda via é preciso antes de tudo identificar os sentimentos de culpa, frustração e negação. Observou-se também, a importância da integração familiar para o desenvolvimento e para o bem-estar da criança com necessidades especiais e para a família, onde ninguém é melhor do que o outro, apenas uma pessoa que possui uma limitação que as demais não possuem. E também a troca de conhecimentos que pode ser feita em grupos ou na própria família, pois a medida que as pessoas descobrem que todos tem problemas, até certo ponto semelhantes, e que elas não encontram-se sozinhas, estas entram em um processo de crescimento e passam a descobrir suas próprias respostas e suas soluções criativas, desta forma conseguem uma significativa vitória humana, a do triunfo em cima do desespero. Ma para que se almeje tais propósitos é necessário que se estabelecer uma parceria entre equipe técnica e a família, no qual se objetive um ambiente harmônico, é neste sentido que sugerimos uma investigação mais profunda de como o psicólogo atua junto à equipe técnica, no sentido de favorecer tais relações.
» download aqui

A CONDUTA DO PSICÓLOGO JUNTO AO PORTADOR DE DÉFICIT COGNITIVO.

Este trabalho teve como objetivo verificar como se dá à atuação do psicólogo junto ao portador de déficit cognitivo, assim como listar e analisar as principais dificuldades e, identificar as técnicas utilizadas. Realizou – se uma pesquisa qualitativa, semi – estruturada, com cinco psicólogos que trabalham na área da educação especial. Verificou – se dentre as dificuldades destes profissionais: pouca divulgação e investimento de pesquisas, refletindo assim, em uma atuação sem muito embasamento teórico e técnicas definidas. Concluiu – se chamando a atenção dos profissionais que integram a área da educação especial e pessoas interessadas no desenvolvimento da mesma, para que persistam na busca de novos conhecimentos, no aprimoramento técnico e científico, promovendo palestras, debates, mesas redondas, divulgação de trabalhos em congressos, com o objetivo de gerar um crescimento do aparato teórico e estimular um maior número de acadêmicos e profissionais a buscar por esta área.
» download aqui

A CONDUTA DO PSICÓLOGO JUNTO AO PORTADOR DE DÉFICIT COGNITIVO.

Este trabalho teve como objetivo verificar como se dá à atuação do psicólogo junto ao portador de déficit cognitivo, assim como listar e analisar as principais dificuldades e, identificar as técnicas utilizadas. Realizou – se uma pesquisa qualitativa, semi – estruturada, com cinco psicólogos que trabalham na área da educação especial. Verificou – se dentre as dificuldades destes profissionais: pouca divulgação e investimento de pesquisas, refletindo assim, em uma atuação sem muito embasamento teórico e técnicas definidas. Concluiu – se chamando a atenção dos profissionais que integram a área da educação especial e pessoas interessadas no desenvolvimento da mesma, para que persistam na busca de novos conhecimentos, no aprimoramento técnico e científico, promovendo palestras, debates, mesas redondas, divulgação de trabalhos em congressos, com o objetivo de gerar um crescimento do aparato teórico e estimular um maior número de acadêmicos e profissionais a buscar por esta área.
» download aqui

A IINTERVENÇÃO DOS PAIIS COM RELAÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DA SEXUALIDADE DOS PORTADORES DA SÍNDROME DE DOWN

O estudo teve como objetivo analisar a relação de pais dos adolescentes portadores de Síndrome de Down (SD), com respeito a sexualidade, de seus filhos. Portanto verificou-se as dificuldades que esses pais encontraram em trabalhar a sexualidade dos filhos e o nível de interação desse portador no contexto social. Participaram deste trabalho 08 pais ou responsáveis dos portadores de Síndrome de Down (SD), pertencentes a uma Instituição especializada de Belém do Pará. Como resultado se observou dificuldades conhecidas em se tratar questões relativa à Síndrome de Down (SD) e à sexualidade em optar por formas de orientações adequadas aos pais, assim como, as formas de educação adequadas, em âmbito de instituições sociais tais como a escola e a família. Tais dificuldades decorrem de deformações correntes nas concepções a respeito da sexualidade humana que separam sexualidade e genitalidade; diversidade das perspectivas a respeito da deficiência do portador da Síndrome de Down (SD), com relação a limites e papéis sociais. No entender, os limites impostos por construções sociais inapropriados e esclarecer possibilidades e limites com menos vínculos e preconceitos a respeito da sexualidade de SD não são fáceis. Portanto em busca de uma melhor compreensão, o presente estudo buscou também conhecer a perspectiva de pais desses portadores de SD. Os dados obtidos na entrevista demostraram que os pais, apresentam poucas possibilidades de seus filhos tornarem -se independentes em todos os níveis e manifestam falta de orientação com relação à sexualidade do portador da SD. Entretanto tais resultados sugerem a relevância da capacitação de recursos humanos nesta área tão complexa, assim como a necessidade de maior conhecimento no que se refere a orientação sexual a pais ou responsáveis de portadores da SD.
» download aqui

A IMPORTÂNCIA DO BRINQUEDO E DO ATO DE BRINCAR PARA O DESENVOLVIMENTO PSICOLÓGICO DE CRIANÇAS DE 5 A 6 ANOS.

A presente pesquisa objetivou conhecer o trabalho desenvolvido com o brinquedo nas escolas de educação infantil, visando identificar as influências do brinquedo na formação da criança, como é trabalhado o brinquedo e como se dá a interação deste com a educação. Na pré-escola, a criança é preparada para a aprendizagem desenvolvendo hábitos, habilidades, atitudes favoráveis para a mesma e comportamentos necessário a sua vida escolar, através de atividades consideradas lúdicas e criativas. Ao brincar, a criança se relaciona com outras crianças, sendo capaz de perceber-se com um “ser” no mundo numa relação entre o que é pessoal (interior) e o que é do grupo( realidade externa).Portanto, o brinquedo é uma atividade que permite o ingresso no mundo da imaginação e no mundo das regras e que deve ser a atividade privilegiada nas instituições de educação infantil. A pesquisa também nos informa que o lúdico para a criança é o meio de expressão fundamental e é através da brincadeira na pré-escola, que as crianças muito aprende com se adaptar ao mundo e em especial á monotonia da vida escolar. Isto nos mostra que a tarefa dos professores é de colocar a criança em circunstâncias favoráveis que lhes permitam descobrir aquilo que elas devem saber, ou seja, é criar situações mais estimuladoras para que a criança por si mesma descubra o conhecimento. De acordo com os resultados obtidos, os objetivos da pesquisa foram alcançados, pois confirmou-se o quanto o brinquedo e o ato de brincar são importantes e prazerosos na educação infantil
» download aqui

A influência da liderança na eficácia da equipe em empresa familiar.

O presente estudo objetivou apontar a relevância sobre as questões relacionadas com a liderança, o líder, e sua relação com a eficiência e eficácia, numa organização empresarial familiar. Para realização deste, utilizou-se o método quantitativo e o qualitativo descritivos, com dados coletados a partir de questionários junto a quatorze participantes, o que corresponde a 44% do total, dos membros de uma equipe/grupo, tendo como base o referencial teórico. Obtiveram-se consideráveis dados acerca do tema, os quais permitiram analisar as questões correlacionadas sobre a liderança e suas influências na formação e composição de equipes e grupos, no tocante ao seguimento de um crescimento interpessoal, interfuncional. Abordaram-se ainda, questões relacionadas com a liderança, a cultura, o clima organizacional, motivação e empresa familiar. Verificou-se que os entrevistados apontaram como modelo de liderança dentro da empresa a liderança democrática, bem como suas influências para o crescimento intergrupal no ambiente de trabalho. Concluiu-se que os fatores que contribuem para o desempenho da liderança e a interação social na eficácia da equipe na empresa familiar estão relacionados ao tratamento grupal, considerando a cultura, as crenças e os valores de cada indivíduo, proporcionado pelas condições oferecidas no espaço laboral, e pela conduta de seus líderes por adotarem o modelo democrático em suas atuações. Sugeriu-se que a empresa desse continuidade às dinâmicas de grupo, treinamentos, palestras, porém, sob a supervisão de um profissional da área de Psicologia. Sugere-se, ainda, a efetivação de outra pesquisa como continuidade desta, porém enfatizando as questões éticas e morais, para dirimir assuntos de ordens laboral que pode estar afetando o bom relacionamento interno do grupo.
» download aqui

A INFLUÊNCIA DA TELEVISÃO NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA DE 07 A 10 ANOS.

Este trabalho objetivou investigar as influências da televisão sobre o desenvolvimento das crianças; bem como, identificar os programas mais assistidos pelas crianças com a finalidade de avaliar os comportamentos que os mesmos apresentam frente à televisão e analisar quais as possíveis estratégias que os educadores podem desenvolver na orientação de seus alunos no que diz respeito à televisão. Portanto observou-se como importância vital o conhecimento da programação assistida pela criança na televisão por parte dos professores, objetivando estimular comportamentos a partir dos pontos positivos de cada programa da televisão. Participaram da pesquisa 07 professores de duas escolas (pública e particular de Belém), e 15 alunos de 07 a 10 anos. Como instrumentos e técnicas utilizou-se questionários com perguntas abertas aos professores entrevistas para os alunos. Os resultados mostraram que apesar de haver grande influência para as crianças por conta da televisão existe ainda a falta de interesse por parte de professores em adquirir conhecimentos sobre o assunto. Observou-se também que muitos educadores estão conscientes quão importantes é conversar com seus alunos a respeito da televisão.
» download aqui

A INFLUÊNCIA DE PROPAGANDAS COMERCIAIS DE BEBIDAS ALCOÓLICAS NO CONSUMO DESTA DROGA LÍCITA POR ADOLESCENTES ENTRE 15 E 17 ANOS

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 80,5% dos adolescentes entraram em contato com bebidas alcoólicas pelo menos uma vez, alguns começam a beber por volta dos 10 anos, podendo aos 20 anos terem se tornado alcoólatras. Especialistas acreditam que uma das causas deste consumo precoce seja a influência da mídia, por difundir uma imagem deturpada destes produtos nas propagandas comerciais, desconsiderando os malefícios do álcool. Este trabalho teve como objetivo verificar, sob o ponto de vista dos participantes, a influência das propagandas comerciais de bebidas alcoólicas no consumo por adolescentes entre 15 e 17 anos. Participaram da pesquisa 5 adolescentes entre 15 e 17 anos que tiveram contato com bebidas alcoólicas. Utilizou-se como instrumento entrevista fenomenológica com foco na influência das propagandas no consumo do álcool, mas analisando outras categorias que emergiram no relato dos participantes, realizada na casa destes com a autorização de seus responsáveis. Os objetivos da pesquisa foram alcançados verificando-se que as propagandas de bebidas alcoólicas influenciam no consumo por adolescentes por relacionar necessidades do indivíduo em desenvolvimento ao consumo da bebida. Sugere-se que sejam realizados trabalhos que visem compreender outras causas do consumo precoce do álcool para agir na prevenção deste.
» download aqui

A INTERAÇÃO DOS PORTADORES DA SÍNDROME DE DOWN COM SEUS COLEGAS NA SALA DE AULA EM UMA ABORDAGEM INCLUSIVA

Este trabalho de pesquisa refere-se a educação do portador da Síndrome de Down, dando ênfase à interação do mesmo com seus colegas da sala de aula inclusiva. Devido a deficiência mental ser uma das características relevantes da Síndrome de Down, o indivíduo apresenta limitações no seu desenvolvimento motor, cognitivo e social, o que faz com que a educação dessas pessoas seja uma atividade complexa. Afim de melhor integrar essas pessoas na sociedade surgiu uma nova proposta educacional chamada de Educação Inclusiva, onde todas as pessoas independente de sua condição física, orgânica, mental psíquica e social, convivem e estudam em uma mesma estrutura educacional. Com o objetivo de compreender a interação dos portadores da Síndrome de Down com seus colegas dentro desse sistema educacional, buscou-se referencial teórico sobre o assunto e em seguida coletou-se dados através de entrevistas de caráter semi-aberto, onde os participantes foram divididos em 3 grupos: Portadores da Síndrome de Down; colegas de sala de aula e professores. As entrevistas foram realizadas em uma sala de aula reservada da Escola Estadual Presidente Costa e Silva, localizada na Av. Almirante Barroso s/n, na cidade de Belém (com a devida autorização da escola).De acordo com os resultados obtidos percebeu-se que houve diminuição do preconceito em relação ao deficiente. Atualmente estas pessoas são bem aceitas em um contexto escolar regular. Este fato faz com que as relações estabelecidas pelos portadores da Síndrome de Down em uma escola inclusiva, lhes proporcione relacionamentos saudáveis, pois os mesmos conseguem ter boa interação com seus colegas ditos “normais”, o que contribui positivamente para seu desenvolvimento biopsicossocial e consequentemente sua integração na sociedade. Para maior divulgação e esclarecimentos sobre o assunto sugere-se que novas pesquisas sejam realizadas.
» download aqui

A INTERAÇÃO DOS PORTADORES DA SÍNDROME DE DOWN COM SEUS COLEGAS NA SALA DE AULA EM UMA ABORDAGEM INCLUSIVA.

Este trabalho de pesquisa refere-se a educação do portador da Síndrome de Down, dando ênfase à interação do mesmo com seus colegas da sala de aula inclusiva. Devido a deficiência mental ser uma das características relevantes da Síndrome de Down, o indivíduo apresenta limitações no seu desenvolvimento motor, cognitivo e social, o que faz com que a educação dessas pessoas seja uma atividade complexa. Afim de melhor integrar essas pessoas na sociedade surgiu uma nova proposta educacional chamada de Educação Inclusiva, onde todas as pessoas independente de sua condição física, orgânica, mental psíquica e social, convivem e estudam em uma mesma estrutura educacional. Com o objetivo de compreender a interação dos portadores da Síndrome de Down com seus colegas dentro desse sistema educacional, buscou-se referencial teórico sobre o assunto e em seguida coletou-se dados através de entrevistas de caráter semiaberto, onde os participantes foram divididos em 3 grupos: Portadores da Síndrome de Down; colegas de sala de aula e professores. As entrevistas foram realizadas em uma sala de aula reservada da Escola Estadual Presidente Costa e Silva, localizada na Av. Almirante Barroso s/n, na cidade de Belém (com a devida autorização da escola).De acordo com os resultados obtidos percebeu-se que houve diminuição do preconceito em relação ao deficiente. Atualmente estas pessoas são bem aceitas em um contexto escolar regular. Este fato faz com que as relações estabelecidas pelos portadores da Síndrome de Down em uma escola inclusiva, lhes proporcione relacionamentos saudáveis, pois os mesmos conseguem ter boa interação com seus colegas ditos “normais”, o que contribui positivamente para seu desenvolvimento biopsicossocial e consequentemente sua integração na sociedade. Para maior divulgação e esclarecimentos sobre o assunto sugere-se que novas pesquisas sejam realizadas.
» download aqui

A INVEJA NOS CONTOS DE GRIMM: UMA ANÁLISE PSICANALÍTICA.

Esta pesquisa teve como objetivo compreender, de que forma o universo infantil abstrai o sentimento de inveja percebido na trama dos contos de fadas Branca de Neve, Cinderela e Bela Adormecida, dos irmãos Grimm, e a partir dessa abstração, verificar possíveis identificações por parte dos participantes da pesquisa, com as personagens dos contos em questão. Utilizou-se, como base principal, as histórias infantis e os contos de fadas que são de suma importância para o desenvolvimento infantil, pois é através deles que as crianças – e não somente elas, mas todas as faixas etárias – pode ter possibilidade de resolver, inconscientemente, os processos angustiantes e dolorosos que vivenciam durante o desenvolvimento, processos de perda, de luta ou de mudança que ocorrem durante o crescimento. Usa-se aqui como embasamento teórico, entre outros, a psicanálise de Freud que compreende a inveja como um afeto representante da pulsão, passando por Klein que define o mesmo sentimento como constitucional e, como complemento, o processo de identificação segundo Lacan. Esta pesquisa procurou propor dois princípios: o da pesquisa básica que está relacionada com o processo de abstração e identificação que o trabalho investigou, e o da pesquisa aplicada, relacionada com a possibilidade de utilização dos contos de fadas como um instrumento projetivo que viabilize a escuta na clínica. Através dos resultados finais, foi possível perceber que as crianças compreendem o processo do sentimento de inveja nos contos de fadas, apontando as personagens más e as personagens boas como as invejosas e as invejadas, respectivamente. Foi possível perceber também as identificações que foram visíveis com ambas as categorias de personagens.
» download aqui

A LEITURA NA UNIVERSIDADE: ANÁLISE DO DESEMPENHO NA RELAÇÃO ENTRE LEITURA FUNCIONAL E APTIDÃO LÓGICA.

O objetivo geral deste trabalho foi compreender a relação entre o desempenho apresentado por alunos universitários em habilidades de leitura funcional e raciocínio lógico. O tema leitura e universidade foi eleito em razão de observação da dificuldade de alunos em classe não realizarem leitura crítica e apresentarem conseqüente prejuízo em suas atividades acadêmica. A pesquisa foi realizada com a participação de 80 alunos do 1º ano e 36 do 5º ano, do Curso de Psicologia da Universidade da Amazônia, em Belém, Pará. Foram aplicados testes de verificação: um contendo 5 questões para avaliar a capacidade interpretativa da análise do conteúdo e síntese de um texto informativo, e outro com 42 questões para analisar os conteúdos de classificação, seriação, analogia, compensação, razão-proporção, probabilidade e correlação de raciocínio lógico. A partir da análise descritiva dos dados obtidos, o resultado apresentado identificou que as habilidades leitura e raciocínio lógico encontram-se intimamente relacionadas. Os alunos no 1º ano apresentaram desempenho satisfatório: 41,25% em leitura funcional e 42,5% em aptidão lógica superior e média superior, enquanto os alunos no 5º ano apresentaram 0% de desempenho satisfatório para leitura e aptidão lógica. É necessário a Universidade adotar diretrizes que revertam a situação de falta de leitura funcional apresentada pelos seus alunos. Pelo exposto a pesquisa é relevante ao meio acadêmico e à sociedade. Estudos posteriores devem ser realizados, com o objetivo de remediar e prevenir o problema da não compreensão de leitura de alunos universitários.
» download aqui

A QUESTÃO DA ÉTIICA NAS RELAÇÕES IINTERPESSOAIIS


A relação entre Transtorno de Personalidade e os atos delituosos dos internos do Sistema Penal do Estado do Pará.

Este trabalho objetivou relacionar os transtornos mentais apresentados pelas pessoas que cometem atos delituosos e seus crimes. O motivo de este ter sido o direcionamento do trabalho é justamente a falta de trabalhos sistematizados para essa área da psicologia. Grande parte da sociedade não se importa ou não toma conhecimento da realidade dentro de uma casa penal, e muitas vezes essa realidade tende a piorar a situação de um preso com algum transtorno mental. Para realizar esse trabalho, foi feita uma pesquisa documental junto ao Centro de Recuperação Psiquiátrica de Americano I (CRPA-I), buscando informações de todos os internos que tivessem sido diagnosticados como “doentes mentais”; relacionando os transtornos e crimes mais recorrentes. Os resultados indicam que parte dessa população carcerária praticou homicídio e encontram-se divididos em Esquizofrênicos (54%) e Psicóticos (18%); 8% dessa população, é também homicida e portadores de Transtornos Maníacos Depressivos. Conclui-se, preliminarmente, que o sistema penal no Estado do Pará ainda necessita de grandes ajustes para poder finalmente trabalhar com presos portadores de transtornos mentais. Sugere-se o aprofundamento e a continuidade deste estudo, o que seria de utilidade não somente para a população carcerária, mas também para aqueles que fazem parte do quadro de funcionários da instituição.
» download aqui

AS ATIVIDADES ARTÍSTICAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL: A UTILIZAÇÃO DA MÚSICA COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM EM UMA CRECHE PARTICULAR DA CIDADE DE BELÉM.

A pesquisa teve como objetivo identificar como a dinâmica pedagógica artística, especificamente o ensino da música, exercida em creches particulares, vem facilitando o desenvolvimento cognitivo, afetivo e sensório-motor das crianças. Demonstrando como, através da utilização de uma pedagogia que envolva o ensino da arte da musicalidade, acontecem progressos no desenvolvimento infantil. Para isso, foi realizado um estudo bibliográfico e uma pesquisa qualitativa-descritiva, com dados coletados a partir de entrevistas realizadas com 04 (quatro) estimuladoras de uma creche particular da cidade de Belém/PA. Foram obtidas respostas que permitiram ratificar a pesquisa bibliográfica e analisar o entendimento das participantes a respeito dos benefícios que o ensino da arte da musicalidade conferem ao desenvolvimento infantil, como a da estimuladora E3, que diz: “Quanto mais a criança puder ouvir mais irá ampliar o vocabulário, enriquecê-lo”, comentou também que: “As crianças não sabem expressar o que estão sentindo, e através da música, elas podem aprender a expressar os seus sentimentos e aproveitar o início da vida para desenvolver e aperfeiçoar a inteligência musical”. Para Gardner (1995, p. 38), a inteligência musical é tão importante para nós quanto a habilidade lógico-matemática e lingüística. E essa inteligência auxiliaria, inclusive, outros tipos de raciocínio, verificou-se que todas as entrevistadas têm conhecimentos sobre a importância das atividades artísticas no processo de desenvolvimento da criança. Encerra-se apresentando como proposta, que os educadores transformem a música em fonte lúdica e criativa, pesquisando com as crianças os elementos sonoros e oferecendo a elas mais estímulos para que a arte surja com espontaneidade.
» download aqui

AS CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS SOBRE PREVENÇÃO DE DSTs E GRAVIDEZ INFLUENCIAM NA CONDUTA SEXUAL DE ADOLESCENTES?

O presente estudo teve como objetivo analisar de que modo as campanhas publicitárias sobre prevenção de DSTs e gravidez influenciam na conduta sexual de adolescentes. Para tal, foi realizada uma pesquisa com dados coletados a partir de questionários realizados com 20 adolescentes, de ambos os sexos, com idade variando de 15 a 17 anos. Foram obtidas consideráveis informações que permitiram analisar o comportamento sexual dos sujeitos participantes. Verificou-se que apesar da maioria dos entrevistados ter uma noção de prevenção, alguns não se previnem. Destaca-se também dados que comprovam os riscos a que os adolescentes estão expostos com a falta de prevenção, além de uma compreensão biológica e psicológica do comportamento adolescente. Percebeu-se uma certa contradição entre adolescentes entrevistados em relação ao seu comportamento sexual. Verificou-se que as campanhas publicitárias do governo sobre prevenção de DSTs e gravidez são eficazes na informação sobre condutas sexuais. Entretanto, a informação parece não ser suficiente na modificação de conduta de prevenção por parte desses adolescentes. Estudos posteriores poderão ser conduzidos com o objetivo de criar campanhas que obtenham sucesso na modificação do comportamento de prevenção, além da informação sobre esse assunto.
» download aqui

AS CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS SOBRE PREVENÇÃO DE DSTs E GRAVIDEZ INFLUENCIAM NA CONDUTA SEXUAL DE ADOLESCENTES?

O presente estudo teve como objetivo analisar de que modo as campanhas publicitárias sobre prevenção de DSTs e gravidez influenciam na conduta sexual de adolescentes. Para tal, foi realizada uma pesquisa com dados coletados a partir de questionários realizados com 20 adolescentes, de ambos os sexos, com idade variando de 15 a 17 anos. Foram obtidas consideráveis informações que permitiram analisar o comportamento sexual dos sujeitos participantes. Verificou-se que apesar da maioria dos entrevistados ter uma noção de prevenção, alguns não se previnem. Destaca-se também dados que comprovam os riscos a que os adolescentes estão expostos com a falta de prevenção, além de uma compreensão biológica e psicológica do comportamento adolescente. Percebeu-se uma certa contradição entre adolescentes entrevistados em relação ao seu comportamento sexual. Verificou-se que as campanhas publicitárias do governo sobre prevenção de DSTs e gravidez são eficazes na informação sobre condutas sexuais. Entretanto, a informação parece não ser suficiente na modificação de conduta de prevenção por parte desses adolescentes. Estudos posteriores poderão ser conduzidos com o objetivo de criar campanhas que obtenham sucesso na modificação do comportamento de prevenção, além da informação sobre esse assunto.
» download aqui

AS CONSEQÜÊNCIAS PSICOLÓGICAS DA TRAIÇÃO NO CASAMENTO, ENVOLVENDO UMA TERCEIRA PESSOA.

Este trabalho tem por objetivo analisar as conseqüências psicológicas da traição no casamento e os fatores que levaram o cônjuge à procura e ao envolvimento com uma terceira pessoa. A pesquisa realizada mostra que a crise do casal é fruto de um problema cada vez maior e mais dramático do ponto de vista social e familiar, ou seja, a crescente fragilidade do sis tema casal, que parece estar em profunda crise enquanto instituição. Participaram da pesquisa 4 (quatro) sujeitos casados, de classe média, sendo que todos os entrevistados eram do sexo feminino, com idade variando entre 47(quarenta e sete) anos a 52 (cinquenta e dois) anos. Foram utilizados como recurso de coleta de dados para a pesquisa, roteiro de entrevistas contendo 6 (seis) perguntas abertas. As entrevistas demostraram de forma clara, que um dos aspectos de grande relevância na escolha do cônjuge, vai desde os aspectos físicos até os aspectos psicológicos bem estruturados, como a experiência de vida e a maturidade, além do processo de identificação, assim como a necessidade de companhia. Apesar de todo esse processo, existe uma problemática que perdura entre os casais. Trata-se da infidelidade, que além de ser perturbadora e desorientadora na relação, é capaz de destruir o casamento por causa dos segredos e mentiras. Sugere-se que as pesquisas futuras possam investigar como as mudanças de papéis sociais vivenciados pela família hoje, tem contribuído para o grande índice de envolvimento com uma outra pessoa e conseqüentemente levar a relação ao divorcio.
» download aqui

AS DIFICULDADES QUE PERMEIAM O DESENVOLVIMENTO BIOPSICOSSOCIAL DO ADOLESCENTE USUÁRIO DE INTERNET: UM ESTUDO DE SUAS REDES DE RELAÇÕES.

O presente trabalho teve como objetivo analisar quais as dificuldades que os adolescentes usuários de Internet encontram no seu desenvolvimento biopsicossocial, através de um estudo de suas redes de relações. Participaram 10 adolescentes de ambos os sexos, com idade entre 15 e 20 anos, que permaneciam conectados à Internet num período mínimo de 10 horas semanais. Os participantes foram entrevistados em “salas de bate-papo” via Internet. A entrevista continha 18 perguntas semi-estruturadas, referentes ao desenvolvimento biológico, emocional, familiar, escolar e social do adolescente. Quanto ao desenvolvimento biológico, 52% dos adolescentes relataram ser as mudanças físicas as mais percebidas. Em relação aos aspectos emocionais 40% dos adolescentes afirmaram não ter conflitos com a adolescência. Quanto às relações familiares, apesar de 50% dos adolescentes relatarem relacionar-se “bem” com seus pais, uma análise qualitativa foi necessária, pois se observou que tais questões suscitaram emoções e comportamentos como irritabilidade e dificuldade em lidar com este assunto. Com relação às relações no contexto escolar 37% dos participantes associaram a escola pública como um fator negativo. Nas relações sociais 40% dos adolescentes afirmaram relacionar-se melhor como o sexo oposto. Quanto à relação adolescente e Internet 36% não associaram a um fato específico os motivos que o levam a permanecerem demasiadamente na Internet. Entre todos os microssistemas estudados, foi possível observar que o sistema familiar foi o que apresentou comprometimentos mais significativos, o que demonstra ser este uma das grandes dificuldades que permeiam as relações do adolescente usuário de Internet. Sugere-se que novas pesquisas sejam realizadas, onde se possa fazer um estudo específico e aprofundado do microssistema familiar. Sugere-se a utilização da “Teoria Ecológica do Desenvolvimento”, onde se poderia entender como ocorrem as relações sociais familiares nos vários ambientes ecológicos e não mais somente no ambiente imediato, aprofundando o presente trabalho. Sugere-se ainda que os participantes não sejam somente os adolescentes, mas que se amplie também aos pais, na busca de uma visão bidirecional, permitindo comparação entre as visões.
» download aqui

As expectativas de alunos ingressantes no curso de psicologia sobre sua formação profissional

O estudo teve como objetivo analisar o nível das expectativas dos alunos ingressantes no curso de Psicologia. Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativa-descritiva, com dados coletados a partir de entrevistas semi-estruturadas realizadas com 2 alunos do 1.º ano do curso de Psicologia. Foram obtidas consideráveis informações que permitiram analisar o expectativas dos alunos ingressantes a cerca do curso. Verificou-se a existência de uma grande complexidade que envolve o processo de escolha profissional, percebeu-se que os participantes apresentavam uma noção muito superficial do que viria ser a Psicologia como ciência e profissão apresentando portanto uma visão esteriotipada oriunda do senso comum. Concluiu-se propondo a extensão deste tema à trabalhos que venham a discutir a questão da formação profissional em Psicologia dando uma maior ênfase para os alunos ingressantes no curso..
» download aqui

AS IMPLICAÇÕES DO SUICÍDIO DE ADOLESCENTES NO FUNCIONAMENTO E ESTRUTURA FAMILIAR.

Neste trabalho serão abordadas as implicações na família, ante o suicídio de um integrante adolescente, um problema mundial e um ato individual que acompanha uma sociedade propensa a ignorar a morte. A preocupação deste trabalho é mostrar as possíveis mudanças na estrutura e no funcionamento das relações interpessoais na milenar instituição familiar. Neste sentido, conceitua-se a família a partir da teoria sistêmica, que tem como premissa, a visão da família como um todo integrado por subsistemas que interagem num movimento circular, ou seja, qualquer alteração em um de seus integrantes, implicará em mudanças no funcionamento do sistema familiar como um todo. O método utilizado foi o estudo qualitativo descritivo. Sendo a pesquisa realizada no arquivo do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Belém-PA, onde foram colhidas informações e identificadas as famílias entrevistadas. A análise dos resultados da pesquisa demonstrou que as famílias de suicidas adolescentes, tiveram seu sistema e funcionamento alterados de forma diferenciada, respondendo a dinâmica de cada estrutura familiar, buscando adaptar-se de acordo com seu próprio movimento de estabilidade e instabilidade preservando portanto o contínuum do sistema familiar.
» download aqui

ASPECTOS DO RELACIONAMENTO FAMILIAR QUE CAUSAM DEPRESSÃO INFANTIL: CONCEPÇÃO DOS PSICOTERAPEUTAS QUE ATUAM NA CIDADE DE BELÉM.

Partindo do principio que a depressão infantil pode ser explicada levando em consideração a historia de vida, contingências ambientais, fatores orgânicos e aspectos comportamentais, o presente trabalho objetivou descrever aspectos da dinâmica familiar que causam depressão infantil, sobre a concepção dos psicoterapeutas que atuam na cidade de Belém. Participaram desta pesquisa 3 psicoterapeutas comportamentais do sexo feminino, na faixa etária de aproximadamente 44 anos e que atuam na cidade de Belém. Inicialmente entrou-se em contato com a coordenação do curso com a finalidade de se obter autorização para que se pudesse ter acesso a lista de psicólogos da área clinica no CRP – PA, para a realização da coleta de dados. Procedeu-se verificando a disponibilidade dos psicólogos em responder o questionário bem como avisando-lhes do sigilo das informações colhidas, e posteriormente entregando-os a esses profissionais. Todos responderam acerca dos fatores relacionados a depressão infantil. Os resultados indicaram que o fracasso escolar, problemas familiares, agressividade, baixa auto-estima, ocasiões de perda, hiperatividade, regras inflexíveis, reduzido padrão de interação, expressão de sentimentos, conteúdo de morte e catástrofe no discurso, são determinantes na instalação do quadro de depressão em crianças. A proposta do estudo é que se de uma continuidade na investigação da incidência dos casos de depressão infantil na cidade de Belém.
» download aqui

AUTO-ESTIMA EM IDOSAS SOLTEIRAS E SEM FILHOS: um estudo comparativo de freqüentadoras e não freqüentadoras de clubes de terceira idade.

O objetivo do presente trabalho foi permitir uma visualização e análise dos fatores que influenciam na auto-estima das idosas solteiras e sem filhos comparando com as idosas freqüentadoras do clube de terceira idade e as não freqüentadoras, identificando assim as variáveis que influenciam na autoestima. Realizou-se entrevistas com perguntas semi-abertas, no qual houveram quatro idosas solteiras e sem filhos participantes, sendo duas freqüentadoras e duas não freqüentadoras do clube de terceira idade. Os resultados mostraram haver aspectos que também são relevantes pelas idosas como cuidar dos pais e a falta de um bom companheiro, indicando ser uma condição. Comparando-se com o estudo realizado por Marinho e Cardoso (2001) que investigaram somente idosas solteiras sem filhos freqüentadoras do clube de terceira idade, podemos concluir que não há nenhuma evidência que possa afirmar que as idosas solteiras sem filhos, possuam uma elevada auto-estima, mas participando do clube de terceira idade, esta possibilidade aumenta, pois proporciona participação em diversas atividades e na aquisição de novas amizades. Propõem-se a realização de outros estudos que avaliem outros fatores como nível cultural, classes sociais, dentre outros.
» download aqui

Carência afetiva no lar e o uso de drogas na adolescência.

Foi objetivando identificar influências e conseqüências que a carência afetiva dentro do lar pode causar ao adolescente e verificar se há, e qual é, a relação entre a carência afetiva no lar e o uso de drogas na adolescência, com base nos relatos dos próprios sujeitos, que as autoras se propuseram a levar a cabo a pesquisa em questão. Para tanto, foram escolhidos adolescentes de ambos os sexos (sem considerarmos credo, classe social, raça...), com idades compreendidas entre 13 e 20 anos, que estão em fase de tratamento contra as drogas no Narcóticos Anônimos (NA), moradores da cidade de Belém, Estado do Pará, os quais responderam a questionários com perguntas fechadas e abertas, que possibilitaram aos participantes maior liberdade de resposta. As informações obtidas foram ilustradas por tabelas comentadas, sendo as respostas submetidas à categorização adequada. Observou-se que o meio no qual o jovem encontra-se, principalmente o núcleo familiar, tem importância significativa no uso ou não de drogas pelo adolescente, merecendo destaque a forma como o mesmo vivenciou sua infância. Notou-se que os usuários têm consciência dos malefícios que a droga traz, mas a usam como uma forma de agredir, chamar a atenção dos pais, que podem contribuir para o ingresso de adolescentes neste mundo., sem esquecermos das amizades. Então, o diálogo parece ser a melhor forma de prevenção. Percebeu-se ainda certo grau de revolta por parte dos sujeitos com relação à situação que agora se encontram, ou seja, acreditaram que usando drogas ganhariam atenção dos pais, porém não imaginaram o quão seria difícil largá-las.
» download aqui

CONSEQÜÊNCIAS PSICOLÓGICAS EM LONGO PRAZO DA VIOLÊNCIA SEXUAL NA INFÂNCIA.

Sabe-se que a violência sexual – abordada neste trabalho como estupro - é um problema de caráter e responsabilidade social e o número de casos, apesar de vasto, poucas vezes chega ao conhecimento público, daí a relevância deste estudo. O objetivo desta pesquisa foi verificar as queixas mais freqüentes que mulheres, com história de violência sexual na infância, apresentam no processo psicoterápico, relacionando-as com o diagnóstico recebido. Foi realizada uma pesquisa qualitativa-descritiva com dados coletados a partir de entrevistas semi-estruturadas, realizadas com duas psicólogas da abordagem analítico-comportamental, com dez anos de experiência cada. Os dados foram apresentados em quadros–síntese acompanhados das respectivas discussões. Concluiu-se que as queixas mais freqüentes que essas mulheres apresentam são: depressão, medo, vergonha, culpa, isolamento, desamparo e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Todas as mulheres apresentaram algum tipo de disfunção sexual e um déficit ou dificuldade quanto a relacionamentos sociais, entre outros diagnósticos menos freqüentes, o que reforça a idéia de uma relação entre a violência sexual na infância e o desenvolvimento de um distúrbio psicológico na idade adulta.
» download aqui

Contos de Fadas: além do encantamento, um encontro com a oralidade. Um estudo psicanalítico sobre a pulsão oral.

Este trabalho tem como objetivo estabelecer relações entre a leitura de Contos de Fadas e sua influência na constituição psíquica. Para tal utilizamos o conceito psicanalítico de pulsão, procurando correlacionar o imaginário infantil a três estórias dos irmãos Grimm, estreitamente ligadas à oralidade – Chapeuzinho Vermelho, João e Maria, O lobo e os sete cabritinhos. Os sujeitos da pesquisa foram sete crianças entre três e oito anos. Sendo os dados coletados a partir da leitura em grupo das três estórias, seguidas de entrevista individual.
» download aqui

DEPENDENTE DE COCAÍNA: REFLETINDO SOBRE A SUA DINÂMICA FAMILIAR.

O objetivo deste trabalho foi averiguar a dinâmica das relações familiares dos dependentes químicos de cocaína do sexo masculino, juntamente com os motivos que os levaram a consumirem essa droga. Como problemática em relação á estrutura familiar foram levantadas as seguintes questões: a relação familiar e o vínculo emocional estabelecido pela mesma, com os dependentes químicos da cocaína. Utilizou-se como método de coleta de dados a Entrevista Estruturada com o auxilio da Observação simples. Foram entrevistados cinco dependentes. Para tanto, verificou-se que nos relacionamentos familiares desses dependentes havia ausência de diálogos e afetos, fatores que se considera muito relevante para o ingresso dos adolescentes no consumo de drogas. Todos iniciaram seu processo de consumir drogas na adolescência, primeiramente com as lícitas, como o álcool e em seguida com outra considerada ilícita, como a maconha. Todos consumiram outra droga que não a cocaína, antes da dependência desta. Assim, concluiu-se que estrutura familiar e consumo de drogas possuem uma grande interligação.
» download aqui

DIFICULDADES PARA ABANDONAR AS DROGAS: Uma Comparação de Relatos de Egressos de Sistemas de Tratamentos Fechado e Aberto.

O problema da dependência as drogas tornou-se um dos temas mais controvertidos na sociedade atual e um dos grandes obstáculos na avaliação do problema reside na dificuldade de se encontrarem estatísticas confiáveis. Este trabalho é resultado de uma pesquisa realizada com dependentes químicos não-usuários, egressos de tratamentos ambulatorial e recluso, e teve como objetivo analisar e comparar as dificuldades encontradas pelos dependentes químicos nos dois sistemas de tratamento, para abandonar o consumo de drogas. Foram pesquisados (4) quatro não-usuários, (2) dois egressos de sistema de tratamento ambulatorial e (2) dois egressos de sistema de tratamento recluso, através de uma entrevista semi-estruturada com perguntas abertas pré-estabelecidas. O instrumento foi aplicado nos locais estabelecidos pelos participantes. Os resultados demonstraram que a instalação do comportamento de usar drogas geralmente ocorre por reforçamento negativo. Nota-se que as maiores dificuldades encontradas no tratamento recluso são a distância da família e as crises de abstinência enquanto a do tratamento ambulatorial é o contato com o mesmo ambiente que instalou e manteve o comportamento de usar drogas, ressaltando que não se pode afirmar que as dificuldades são do tratamento pois deve-se analisar o indivíduo e o meio em que vive.Percebe-se ainda que os dependentes devem conscientizar-se de necessidade de tratamento Sugere-se para complementação desta pesquisa, uma outra que obtivesse dados estatísticos da quantidade de altas obtidas nos centros de tratamento.
» download aqui

DISFUNÇÃO ERÉTIL: UMA ANÁLISE COMPORTAMENTAL

O presente estudo investigou possíveis inter-relações entre aspectos comportamentais e apresentação de sintomas da disfunção erétil através de relatos de médicos e pacientes, coletados por meios de formulários e do exame das literaturas médica e analiticocomportamental. Considera-se, portanto, a possibilidade de que, embora a disfunção erétil seja reconhecida como uma manifestação orgânica bastante comum e seja costumeiramente tratada somente como resultante de fatores orgânicos, é de fundamental importância a avaliação de variáveis comportamentais relacionadas ao quadro. Neste contexto, o presente estudo objetivou analisar possíveis inter-relações entre aspectos comportamentais e a apresentação de sintomas de disfunção erétil, a partir de relatos de médicos e pacientes. Como resultado, os relatos dos médicos e pacientes mostraram-se coincidentes com os relatos da literatura que valoriza a interrelação entre variáveis orgânicas e comportamentais, de forma que a relevância de regras e de contingências operantes relacionadas à instalação e à manutenção do repertório comportamental de cada indivíduo afetado fica ressaltada. Aponta-se, pois, para a necessidade de um trabalho interdisciplinar entre médicos e psicólogos para promover, de maneira integral, alterações comportamentais e orgânicas que representem o que cada paciente compreende como sendo um estado de saúde para si próprio.
» download aqui

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ESTUDO DESCRITIVO DAS AÇÕES DOCENTES.

A educação Inclusiva implica, que não se deve esperar mais que o deficiente se adapte aos alunos, normais. O que é visado, é que ele atinja o máximo da sua potencialidade, junto com seus colegas “normais”. Com isto fica garantido o direito à singularidade de sua atuação. Pois para o paradigma da Inclusão, não são os deficientes que tem que se adaptar aos normais, mas os normais que tem que aprender a conviver com os deficientes. Neste contexto, é preciso que os professores aprendam, a trabalhar com as adaptações curriculares, para acompanhar melhor o processo de desenvolvimento de cada aluno, seja ele deficiente ou não. O presente estudo, teve como objetivo investigar, descrever as ações docentes frente às classes inclusivas. Participaram deste estudo, quatro professoras atuantes em escolas públicas, com classes inclusivas, que no momento, da coleta, estavam desenvolvendo suas atividades em sala de aula. A coleta de informações, foi realizada, através de entrevistas e observação simples. Os resultados obtidos, referem-se a forma de pensarem acerca da educação inclusiva, onde demonstraram preocupação, ansiedade, sentindo-se perdidas e confusas em suas atividades, com alunos portadores de necessidades educativas especiais, possibilitando assim, dificuldades tanto no relacionamento com a família desses alunos como de relação social, incluindo também, objeção para se comunicar com os mesmos, pela falta de preparo e treinamento, que não tiveram, impossibilitandoas de efetivarem um trabalho coerente e eficiente com esses alunos. Conclui-se que os fatores predominantes, que viabilizaram as dificuldades nas ações docentes, foram o despreparo, a falta de treinamento e as ausências do suporte técnico e de cursos de preparação no processo de inclusão, que não possibilitaram o desenvolvimento de boas atividades. Sugere-se que o Sistema Educacional, torne possível aos docentes, cursos de especialização específica em inclusão, para assim, colocarem em prática suas perspectivas em oferecer aos alunos com necessidade educativas especiais, educação de qualidade.
» download aqui

ESPELHO, ESPELHO MEU, EXISTE ALGUÉM MAIS SEXY DO QUE EU ? UM REFLEXO DA SOCIEDADE NA DESSEXUALIZAÇÃO DA MULHER CLIMATÉRICA.

A sexualidade está presente na vida da mulher desde o nascimento até o final de sua vida, e pode ser expressa de maneira diferente a cada nova fase durante seu desenvolvimento físico e psicológico, por isso esta pesquisa trata da importante fase do Climatério, sendo este um período na vida das mulheres que compreende aproximadamente a faixa etária entre 40 aos 65 anos, período em que a mulher passa do período reprodutivo ao não reprodutivo. Porém como critério adotamos , para esta pesquisa a faixa etária de 45 a 55 anos, de classes sociais diversas, atendidas pelo SUS ou plano de saúde particulares. Nosso objetivo foi verificar a repercussão social neste período, utilizando como instrumento metodológico a aplicação de questionário em 26 mulheres. A análise dos mesmos nos deu embasamento para afirmar que só haverá dessexualização caso as mulheres não encontrem novas formas de autosatisfação e que estas novas formas de buscar a realização da sexualidade depende muito do tipo de vida que foi construída por esta mulher ativa ou passivamente no decorrer de sua existência.
» download aqui

ESPELHO, ESPELHO MEU, EXISTE ALGUÉM MAIS SEXY DO QUE EU ? UM REFLEXO DA SOCIEDADE NA DESSEXUALIZAÇÃO DA MULHER CLIMATÉRICA.

A sexualidade está presente na vida da mulher desde o nascimento até o final de sua vida, e pode ser expressa de maneira diferente a cada nova fase durante seu desenvolvimento físico e psicológico, por isso esta pesquisa trata da importante fase do Climatério, sendo este um período na vida das mulheres que compreende aproximadamente a faixa etária entre 40 aos 65 anos, período em que a mulher passa do período reprodutivo ao não reprodutivo. Porém como critério adotamos , para esta pesquisa a faixa etária de 45 a 55 anos, de classes sociais diversas, atendidas pelo SUS ou plano de saúde particulares. Nosso objetivo foi verificar a repercussão social neste período, utilizando como instrumento metodológico a aplicação de questionário em 26 mulheres. A análise dos mesmos nos deu embasamento para afirmar que só haverá dessexualização caso as mulheres não encontrem novas formas de autosatisfação e que estas novas formas de buscar a realização da sexualidade depende muito do tipo de vida que foi construída por esta mulher ativa ou passivamente no decorrer de sua existência.
» download aqui

FIDELIDADE E INFIDELIDADE: Interfaces de um casamento

Que papel a fidelidade e a infidelidade tem na manutenção de um casamento? Nosso trabalho teve como objetivo identificar os fenômenos fidelidade e infidelidade conjugal, e de que forma eles são abordados pelos cônjuges no que tange a manutenção de um casamento, assim como identificar os motivos que o levam a manter-se fiel em seu casamento. Relacionando a fidelidade e a infidelidade em suas manifestações nos homens e nas mulheres, podendo assim identificar as conseqüências (positivas ou negativas) no parceiro que traiu ou foi traído. Foram entrevistados 10 participantes, escolhidos aleatoriamente, entre homens e mulheres, estudantes da UNAMA, casados no civil e religioso e possuindo entre 01 e 20 anos de casados, onde a coleta de dados foi feita através de um questionário e os resultados apresentados através de tabelas e gráficos. Nos resultados obtidos, a fidelidade aparece como algo essencial para que a relação conjugal se mantenha saudável e estável e a infidelidade vista como um ato que atrapalha e pode acabar com o relacionamento. Como consideração final podemos perceber que tanto homens como mulheres preferem manter-se fiéis em seus casamentos, priorizando o respeito e amor.
» download aqui

O ADOLESCENTE DE CLASSE MÉDIA E A MACONHA : DA SEDUÇÃO AO VÍCIO.

O objetivo deste trabalho é de avaliar os principais motivos que levam atualmente, os adolescentes de classe média a consumirem maconha. A maconha é considerada uma droga ilícita, capaz de causar dependência através do uso continuado, afetando significativamente a mente, alterando as funções normais do cérebro, interferindo em todas as áreas da vida humana: desempenhos escolares, práticas de esportes, nos relacionamentos em geral e em outras atividades. Existem muitas razões pelas quais os adolescentes consomem maconha, dentre as quais estão a influência dos amigos, da família, dos meios de comunicação, curiosidade, momentos de vulnerabilidade, dentre outros. Os efeitos da maconha são geralmente negativos, causando sensações de ansiedade, paranóia, sede, fome, agitação, sono excessivo, além das constantes falhas de memória, angústias, disfunções sexuais. O dependente de droga, de uma forma geral, tende a negá-la ou minimizá-la, restringindo o hábito ao momento atual da vida. A droga tem muitas vezes, a finalidade de eliminar a ansiedade da espera e a angústia da frustração, substituindo a reflexão pela ação compulsiva. A maconha também pode levar ao consumo de drogas mais agressivas, pois coloca os adolescentes em contato com pessoas que usam e vendem outras drogas. Um bom indício é que a maconha atualmente tem sido enfatizada de forma direta e informativa pelos meios de comunicação e escolas, o que poderia se estender a instituições públicas e privadas para a promoção de programas preventivos, e de tratamento e reabilitação para a população em geral.
» download aqui

O ADOLESCENTE E A INICIAÇÃO SEXUAL PRECOCE.

O adolescente e a iniciação precoce foi uma pesquisa que teve como escopo detectar os motivos que levam os adolescentes a terem uma iniciação sexual precoce, quais as conseqüências psicossociais de tal fato e de como esse assunto é lidado pela família. Como metodologia, utilizamos um roteiro de perguntas às entrevistas realizadas num notório reduto de adolescentes. As respostas foram gravadas com a devida autorização, depois avaliadas e dispostas em gráficos. A curiosidade, o impulso e a confiança no parceiro foram os motivos mais apontados para a ocorrência da primeira relação, e, o arrependimento a maior consequência deste ato, apesar de, alguns dos entrevistados terem citados que nada ocorreu após a concretização deste ato. A família também foi abordada, e quanto a ela, percebemos que a diferença sexual é notória, privilegiando os meninos quanto a liberdade e tolhendo a sexualidade feminina.
» download aqui

O ADOLESCENTE E A INICIAÇÃO SEXUAL PRECOCE.

O adolescente e a iniciação precoce foi uma pesquisa que teve como escopo detectar os motivos que levam os adolescentes a terem uma iniciação sexual precoce, quais as conseqüências psicossociais de tal fato e de como esse assunto é lidado pela família. Como metodologia, utilizamos um roteiro de perguntas às entrevistas realizadas num notório reduto de adolescentes. As respostas foram gravadas com a devida autorização, depois avaliadas e dispostas em gráficos. A curiosidade, o impulso e a confiança no parceiro foram os motivos mais apontados para a ocorrência da primeira relação, e, o arrependimento a maior consequência deste ato, apesar de, alguns dos entrevistados terem citados que nada ocorreu após a concretização deste ato. A família também foi abordada, e quanto a ela, percebemos que a diferença sexual é notória, privilegiando os meninos quanto a liberdade e tolhendo a sexualidade feminina.
» download aqui

O AMOR TERAPÊUTICO: UMA MANIFESTAÇÃO AMOROSA DO TERAPEUTA PELO CLIENTE

O presente trabalho teve como objetivo investigar a manifestação amorosa do terapeuta em relação ao cliente, o quê denomina-se o amor terapêutico. Propondose verificar: se o amor do psicoterapeuta pelo cliente ocorre no discurso dos participantes; qual a importância desse amor; se este é necessário ao sucesso do processo psicoterapêutico; e se ele pode torna-se um risco para o psicoterapeuta como para o próprio cliente. Para alcançar o fim a que se destina esta produção foi necessário investigar os vários tipos de amores que o ser humano pode ter e diferenciá-los do tipo de amor que ocorre na relação terapêutica. Investigou-se também o conceito de psicoterapia e os vários tipos, formas e objetivos que ela pode adquirir; assim como a atitude do psicoterapeuta diante do cliente e os riscos que ambos podem sofrer na relação psicoterápica. Este trabalho utilizou como método a entrevista aberta com 5 (cinco) psicólogos gestaltterapeutas, com atuação em clínica. Foi observado com a análise dos resultados, que o amor do psicoterapeuta pelo cliente acontece na prática através do vínculo que ambos estabelecem entre si, e da confirmação do cliente pelo psicoterapeuta; além de ratificar a presença de riscos que tanto o psicoterapeuta como o cliente podem sofrer. Desse modo, pode-se afirmar que o amor terapêutico é considerado de extrema importância e necessário ao sucesso do processo psicoterapêutico. Porém, este trabalho não encerra a pesquisa sobre o amor terapêutico, na visão humanista da Gestalt - Terapia, e poderá servir como suporte teórico para a produção de novos trabalhos de pesquisa.
» download aqui

O CRIME ENQUANTO CONDUTA DO POSSÍVEL SOCIOPATA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DOS PRINCIPAIS ASPECTOS BIOPSICOSSOCIAIS

Esse trabalho teve como objetivo estudar os aspectos bio-psico-sociais da conduta do possível sociopata encarcerado pelo cometimento de ações criminais. Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativa - comparativa, com dados coletados a partir da literatura específica e de entrevistas realizadas com três indivíduos encarcerados do Centro de Recuperação de Americano II, que possivelmente possuem traços sociopáticos, identificados através do contato direto que se obteve com estes, onde foram alcançadas consideráveis informações que permitiram constatar a coerência entre os dados fidedignos sobre os encarcerados (Incluindo sua história de vida e levantamento dos criminais) e o que relata a literatura. É válido ressaltar que não foi desconsiderado o fator neurológico o qual vem sendo estudado de forma minuciosa a fim de chegar-se a um diagnóstico mais completo e uma explicação mais profunda. Conclui-se apresentando sugestões para novas pesquisas científicas complementares em relação a esta personalidade tão diferente das outras. Visando maior esclarecimento social.
» download aqui

O ESTRESSE NO CURSO DE FORMAÇÃO DO PSICÓLOGO

O presente estudo propôs-se a examinar variáveis relacionadas ao estresse verbalizadas por universitários da 1ª série do curso de Formação de Psicólogo da Universidade da Amazônia, correspondente à 5ª série do curso de Psicologia, incluindo as estratégias adotadas no manejo de tais situações, de forma a relacionar os dados coletados com a proposta externalista característica da Análise do Comportamento. Participaram da pesquisa 46 estudantes, 5 do sexo masculino e 41 do sexo feminino, na faixa etária entre 22 e 45 anos, de três turmas da 5ª série do curso de Psicologia da Universidade da Amazônia (19 da 5PSM-1, 23 da 5PSV-1 e 4 da 5PSN-1). A seleção foi realizada de acordo com a presença em sala de aula, tendo sido a coleta realizada na última semana do mês de outubro, com base no questionário com perguntas semi-dirigidas e abertas, ao final de uma aula de cada turma. Como resultado, os relatos dos estudantes indicaram, de uma maneira geral, a presença de estresse e de estratégias de manejo das situações, como exposição a atividades positivamente reforçadas e auto-avaliação, embora nem sempre tais estratégias sejam relacionadas ao conteúdo teórico adquirido ao longo do curso de Psicologia.
» download aqui

O FENÔMENO DO ESTABELECIMENTO DE LIMITES NA RELAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS ADOLESCENTES: um olhar gestáltico.

O presente trabalho investigou o processo do estabelecimento de limites na relação pais e filhos adolescentes, visto a importância deste para o desenvolvimento saudável do adolescente em direção à sua autonomia. Este trabalho objetivou observar como os pais estabelecem limites para o filho adolescente tomando por base o referencial teórico da Gestal-Terapia, verificando quais bloqueios de contato permeiam esse processo. Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativa com dados coletados através de entrevistas semi-estruturadas com cinco adolescentes, contendo cinco questões e com os pais destes adolescentes, em separado, contendo quatro questões. Os dados foram organizados em quadros e examinados a partir da análise do discurso dos participantes. Observou-se que os pais não têm claro o conceito de limites, tendo por isso dificuldades para estabelecê-lo, dificuldades estas permeadas por bloqueios de contato, sendo que os que estiveram presentes no processo de estabelecimento de limites em todas as famílias entrevistadas foram a introjeção, a projeção, a deflexão e a confluência.
» download aqui

O FENÔMENO DO ESTABELECIMENTO DE LIMITES NA RELAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS ADOLESCENTES: um olhar gestáltico.

O presente trabalho investigou o processo do estabelecimento de limites na relação pais e filhos adolescentes, visto a importância deste para o desenvolvimento saudável do adolescente em direção à sua autonomia. Este trabalho objetivou observar como os pais estabelecem limites para o filho adolescente tomando por base o referencial teórico da Gestal-Terapia, verificando quais bloqueios de contato permeiam esse processo. Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativa com dados coletados através de entrevistas semiestruturadas com cinco adolescentes, contendo cinco questões e com os pais destes adolescentes, em separado, contendo quatro questões. Os dados foram organizados em quadros e examinados a partir da análise do discurso dos participantes. Observou-se que os pais não têm claro o conceito de limites, tendo por isso dificuldades para estabelecê-lo, dificuldades estas permeadas por bloqueios de contato, sendo que os que estiveram presentes no processo de estabelecimento de limites em todas as famílias entrevistadas foram a introjeção, a projeção, a deflexão e a confluência.
» download aqui

O STRESS EM CRIANÇAS NO PROCESSO DE SEPARAÇÃO DOS PAIS SOB O ENFOQUE DA GESTALT - TERAPIA.

Esta pesquisa teve como meta verificar de que maneira o processo de separação dos pais atinge as crianças, e de forma mais específica identificar os sintomas que estas crianças apresentam e a forma como ocorre o tratamento a estas dentro da Gestalt – Terapia, identificando a percepção do profissional psicólogo acerca das crianças que vivenciam o processo em questão. A pesquisa realizou-se com 04 (quatro) terapeutas que atuam em atendimento infantil, segundo o enfoque clínico da Gestalt – Terapia., onde foi utilizado entrevistas com 04 (quatro) perguntas abertas, tendo como intuito levantar, através de seus discursos, como as crianças chegam emocionalmente a seus consultórios, quais os sintomas que estas apresentam, como ocorre o tratamento e quais as técnicas que são utilizadas no decorrer deste. Observou-se com os resultados obtidos que, em geral, as crianças que vivenciam o processo de separação dos pais, acabam desenvolvendo um processo de stress que se faz presente através de problemas a nível tanto orgânico quanto psicológico, como ficou perceptível a partir dos relatos dos profissionais entrevistados. Propõe-se que seja dada a continuidade a esta pesquisa, verificando-se o relato das crianças, bem como do casal que enfrenta o processo de separação. Outra sugestão significativa, diz respeito a relação que a criança estabelece com o novo parceiro de seus pais, visto que, no decorrer desta pesquisa foi possível constatar que a criança vê-se envolta a sentimentos como o ciúme, a ameaça e o medo de que os pais estejam menos disponíveis para elas.
» download aqui

OBESIDADE INFANTIL: As dificuldades da criança em relação à obediência de regras impostas por uma dieta alimentar

O excesso de peso e a obesidade têm ameaçado a saúde de um número cada vez maior de pessoas em todo o mundo, superando até mesmo a desnutrição e as doenças infecciosas, boa parte destes indivíduos ainda se encontram na fase da infância. O presente trabalho objetivou analisar quais as dificuldades enfrentadas por crianças obesas em seguir regras estabelecidas por um regime alimentar. Participaram deste estudo quatro crianças na faixa etária de 7 à 11 anos, que estão em tratamento contra obesidade e suas respectivas mães responsáveis pelo cumprimento da dieta. Os dados foram coletados através de entrevistas semi-estruturadas, sendo que os relatos das mães foram acrescentados com o intuito de contrastá-las com os relatos das crianças, em uma tentativa de aprofundar a análise proposta. Concluindo-se que devido a criança apresentar história anterior de consumo de alimentos calóricos; a não modificação da alimentação dos outros membros da família e também pela forma como a mãe esclarece e administra a dieta, não estabelecendo reforços próximos, contribuíram para que a criança apresente dificuldades no segmento da dieta. Desta forma, confirmando a literatura disponível na abordagem analítica comportamental acerca da relação entre regras e contingências.
» download aqui

OS EFEITOS PSICOLÓGICOS DO ANALFABETISMO SOBRE A AUTO-ESTIMA DO INDIVÍDUO ADULTO DO SEXO MASCULINO

O objetivo desta pesquisa foi obter dados sobre os efeitos psicológicos do analfabetismo na auto-estima de indivíduos adultos do sexo masculino. Ou seja, como se é sua qualidade de vida, como estes indivíduos se vêem no mundo e como o mundo se mostra para eles, quais as suas expectativas, seus sentimentos e suas angústias. Buscou-se verificar quais os efeitos psicológicos que o analfabetismo pode causar sobre à auto-estima de indivíduos adultos do sexo masculino. Desse modo, através de um procedimento investigatório junto a indivíduos analfabetos, do sexo masculino, moradores do bairro da Terra Firme, foram verificados seus sentimentos provenientes das dificuldades que encontram em sua vida cotidiana, resultante do não domínio da leitura e da escrita. Nesse processo, foi possível avaliar a auto-estima do indivíduo, a partir exatamente da análise de seu autoconceito. Constatou-se também que todos os sujeitos se desvalorizaram enquanto profissionais e enquanto membros de um contexto sócio-econômicocultural. Desse modo, observou-se que todos os sujeitos apresentam um autoconceito negativo, uma vez que se consideram pouco eficientes, por não conseguirem empregos que possibilitem um sustento satisfatório para eles e suas famílias. Quanto à auto-estima observa-se que todos os sujeitos apresentam-na pouco saudável, denotando assim uma maior probabilidade de sucumbir a um sentimento de impotência, já que a auto-estima repercute em todos os aspectos da existência dos homens, bem como em suas atuações enquanto profissionais e sujeitos partícipes de uma sociedade.
» download aqui

OS EFEITOS PSICOLÓGICOS DO ANALFABETISMO SOBRE A AUTO-ESTIMA DO INDIVÍDUO ADULTO DO SEXO MASCULINO

O objetivo desta pesquisa foi obter dados sobre os efeitos psicológicos do analfabetismo na auto-estima de indivíduos adultos do sexo masculino. Ou seja, como se é sua qualidade de vida, como estes indivíduos se vêem no mundo e como o mundo se mostra para eles, quais as suas expectativas, seus sentimentos e suas angústias. Buscou-se verificar quais os efeitos psicológicos que o analfabetismo pode causar sobre à auto-estima de indivíduos adultos do sexo masculino. Desse modo, através de um procedimento investigatório junto a indivíduos analfabetos, do sexo masculino, moradores do bairro da Terra Firme, foram verificados seus sentimentos provenientes das dificuldades que encontram em sua vida cotidiana, resultante do não domínio da leitura e da escrita. Nesse processo, foi possível avaliar a auto-estima do indivíduo, a partir exatamente da análise de seu autoconceito. Constatou-se também que todos os sujeitos se desvalorizaram enquanto profissionais e enquanto membros de um contexto sócio-econômicocultural. Desse modo, observou-se que todos os sujeitos apresentam um autoconceito negativo, uma vez que se consideram pouco eficientes, por não conseguirem empregos que possibilitem um sustento satisfatório para eles e suas famílias. Quanto à auto-estima observa-se que todos os sujeitos apresentam-na pouco saudável, denotando assim uma maior probabilidade de sucumbir a um sentimento de impotência, já que a auto-estima repercute em todos os aspectos da existência dos homens, bem como em suas atuações enquanto profissionais e sujeitos partícipes de uma sociedade.
» download aqui

OS EFEITOS PSICOMOTORES DA APLICAÇÃO DO MÉTODO DO DESENVOLVIMENTO DO POTENCIAL HUMANO EM PORTADORES DE ENCEFALOPATIA CRÔNICA DA INFÂNCIA NÃO-PROGRESSIVA.

O trabalho teve como objetivo analisar, verificar e demonstrar os efeitos psicomotores da aplicação do método do desenvolvimento do potencial humano em portadores de encefalopatia crônica da infância não-progressiva, já que isto é de fundamental importância para que haja um maior conhecimento da eficácia do método, oportunizando uma boa evolução e desenvolvimento harmônico da criança em sua totalidade psicofísica. Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativa, com dados coletados a partir de uma entrevista semi-aberta contendo dez perguntas, realizada com três profissionais da área de educação especial. Foram obtidas importantes informações que possibilitaram analisar os efeitos do método. Analisouse que o método utilizado é fundamental no tratamento da criança portadora de lesão cerebral, pois o mesmo, trata não só o portador, mas também se preocupa em trazer para o tratamento a presença da família, que influencia diretamente no desenvolvimento da criança. Existem três processos fundamentais no método do desenvolvimento do potencial humano que são: freqüência, duração e intensidade. Essas três palavras são fundamentais, favorecendo assim o progresso da criança no tratamento, nas funções receptivas, que são, tato, visão, audição, gustação e olfação e expressivas que são a mobilidade, linguagem, motricidade e respiração. Conclui-se que o método apresenta de forma direta, meios para que haja um desenvolvimento global nos portadores de lesão cerebral, isto é, em todos os aspectos: cognitivos, sensoriais e psicomotores.
» download aqui

PERFIL PSICOSSOCIAL DA PROSTITUIÇÃO MASCULINA EM BELÉM

A presente pesquisa teve como principal objetivo identificar o Perfil Psicossocial da Prostituição Masculina na cidade de Belém, analisando aspectos que fazem com que alguns garotos se prostituam, identificando suas perspectivas de vida. Pois ressalta-se que os garotos de programa entrevistados compreendem-se em faixa etária de 21 a 28 anos, estão no ensino médio(cursando/concluído) e no ensino superior(cursando/concluído), sendo que a maioria deles são solteiros(80%) e possuem outras ocupações desempenhadas paralelamente a sua atividade como garoto de programa. Todavia, nota-se que até o momento, muitos deles já pensaram em largar esta atividade, até mesmo pelas dificuldades enfrentadas no que se refere à preconceitos, insatisfações, pois tem que, muitas das vezes, se sujeitar a fazer o que os clientes desejam, e ainda o fato de que precisam atingir um certo grau de excitação quando lhes é solicitado que desempenhe papel de “ativo” (penetrante), dentre outras. Mas, tais dificuldades podem ser, até certo ponto superadas, na medida em que seus programas passam a ser uma fonte de renda mais lucrativa, e que tal renda seja obtida de forma relativamente “rápida” e “fácil”. E, quanto as suas expectativas de vida, eles esperam que tudo de melhor venha a acontecer em suas vidas e que consigam conquistar seus ideais.
» download aqui

PERFIL PSICOSSOCIAL DA PROSTITUIÇÃO MASCULINA EM BELÉM

A presente pesquisa teve como principal objetivo identificar o Perfil Psicossocial da Prostituição Masculina na cidade de Belém, analisando aspectos que fazem com que alguns garotos se prostituam, identificando suas perspectivas de vida. Pois ressalta-se que os garotos de programa entrevistados compreendem-se em faixa etária de 21 a 28 anos, estão no ensino médio(cursando/concluído) e no ensino superior(cursando/concluído), sendo que a maioria deles são solteiros(80%) e possuem outras ocupações desempenhadas paralelamente a sua atividade como garoto de programa. Todavia, nota-se que até o momento, muitos deles já pensaram em largar esta atividade, até mesmo pelas dificuldades enfrentadas no que se refere à preconceitos, insatisfações, pois tem que, muitas das vezes, se sujeitar a fazer o que os clientes desejam, e ainda o fato de que precisam atingir um certo grau de excitação quando lhes é solicitado que desempenhe papel de “ativo” (penetrante), dentre outras. Mas, tais dificuldades podem ser, até certo ponto superadas, na medida em que seus programas passam a ser uma fonte de renda mais lucrativa, e que tal renda seja obtida de forma relativamente “rápida” e “fácil”. E, quanto as suas expectativas de vida, eles esperam que tudo de melhor venha a acontecer em suas vidas e que consigam conquistar seus ideais.
» download aqui

QUANDO O MATRIMÔNIO DURA MENOS QUE O NAMORO: ANÁLISE DA RELAÇÃO AFETIVA.

Esta pesquisa retrata questões que freqüentemente encontramos na nossa realidade contemporânea: um alto nível de separações conjugais; pois em cada três casais um se submete à separação. Sabendo disso, temos o propósito de entender esse fenômeno que faz surgir na sociedade várias perguntas sem respostas, como o fim de um matrimônio proveniente de uma relação de namoro mais longa que o mesmo. Com a participação de três casais que namoraram um tempo de 5 anos ou mais, ao se casarem, mantiveram o matrimônio de no máximo 2 anos juntos, procuramos com esta pesquisa responder questões como: quais os motivos que levam a interrupção desse vínculo conjugal e, quanto ao casamento, quais eram suas expectativas? Através de categorias de análise, as quais foram construídas a partir das questões norteadoras, dos objetivos da pesquisa e das falas significativas desses participantes, os dados da coleta foram analisados, onde obtivemos como resultados os seguintes motivos: conflitos interpessoais e familiares, imaturidade emocional, a idealização que um constrói em relação ao outro, comunicação desajustada e infidelidade. E quanto as suas expectativas em relação ao matrimônio, a maioria foi parcialmente alcançada; pois não foi totalmente por o nível de frustração, por ambas as partes, ser maior que àquelas expectativas de idealização feita por cada um. Portanto, é no interior de uma união conjugal que as soluções são encontradas para os problemas que ameaçam a sua ruptura. Mas o relacionamento conjugal só merece ser preservado, quando é uma experiência que desenvolve um crescimento pessoal de ambos.
» download aqui

RELAÇÃO ENTRE COMPORTAMENTO GOVERNADO POR REGRA E CONTROLADO POR CONTINGÊNCIA EM CASOS DE ADULTOS COM DIABETES.

O diabetes é uma síndrome de etiologia múltipla decorrente da falta de insulina e / ou da incapacidade da insulina exercer adequadamente seus efeitos, que se caracteriza por hiperglicemia crônica com distúrbio do metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas. As conseqüências do diabetes a longo prazo, incluem danos, disfunção e falência de vários órgãos, especialmente rins, olhos, nervos, coração e vasos sanguíneos. As causas do diabetes são várias, supondo-se a influência de fatores hereditários e ambientais. Há dois tipos de distintos de diabetes: o tipo 1, que é mais comum em crianças e adolescentes, caracterizado como insulino-dependente, e o tipo 2, que se instala no adulto, caracterizado como não-insulino-dependente, controlado através de exercícios, dietas e em alguns casos também com medicação. Diante deste quadro, o presente estudo tem como objetivo analisar as relações entre as regras descritivas das condições de tratamento apresentados a adultos portadores de diabetes e as contingências de reforçamento em vigor em seu ambiente natural. Participaram deste estudo 3 pacientes na faixa etária de 45 a 58 anos. Os dados foram coletados através de um formulário com 10 questões. Como resultado, observaram-se ocorrências de mudanças comportamentais que caracterizam alterações na rotina dos participantes após receberem o diagnóstico médico, o que indica a relevância das regras para o grupo investigado, o que aponta para funcionamentos acerca da literatura referente às contingências de conflitos entre o contato direto com contingências operantes e a sua descrição verbal.
» download aqui

RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO NO PROCESSO EDUCACIONAL DO ENSINO SUPERIOR

O presente trabalho objetivou saber quais são as características comportamentais que alunos do 5o ano de um curso de psicologia acham relevantes em seus professores. Analisouse o ponto de vista dos alunos sobre como se estabelece a relação professor-aluno na sala de aula e a partir daí quais são as expectativas do aluno sobre o papel do professor. Esse trabalho teve como base teórica a análise do comportamento, que buscou entender a relação professor aluno através da tríplice relação de contingência, onde comparou-se os dados obtidos com os sujeitos com a teoria. A maioria dos alunos escolheu como característica ideal a empatia para que seu mestre seja considerado um bom professor, além do que pôde-se perceber claramente como os alunos estabelecem sua relação com o professor e que as expectativas que eles possuem do professor é que sejam empáticos. Este trabalho aponta sugestões sobre como deve ser o relacionamento entre professor e aluno. Trabalhos posteriores são sugeridos, onde se poderá investigar a visão do professor sobre as características ideais do papel do professor, ou contrapor a visão dos alunos com os professores sobre as características ideais do aluno.
» download aqui

RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO NO PROCESSO EDUCACIONAL DO ENSINO SUPERIOR

O presente trabalho objetivou saber quais são as características comportamentais que alunos do 5o ano de um curso de psicologia acham relevantes em seus professores. Analisou-se o ponto de vista dos alunos sobre como se estabelece a relação professor-aluno na sala de aula e a partir daí quais são as expectativas do aluno sobre o papel do professor. Esse trabalho teve como base teórica a análise do comportamento, que buscou entender a relação professor aluno através da tríplice relação de contingência, onde comparou-se os dados obtidos com os sujeitos com a teoria. A maioria dos alunos escolheu como característica ideal a empatia para que seu mestre seja considerado um bom professor, além do que pôde-se perceber claramente como os alunos estabelecem sua relação com o professor e que as expectativas que eles possuem do professor é que sejam empáticos. Este trabalho aponta sugestões sobre como deve ser o relacionamento entre professor e aluno. Trabalhos posteriores são sugeridos, onde se poderá investigar a visão do professor sobre as características ideais do papel do professor, ou contrapor a visão dos alunos com os professores sobre as características ideais do aluno.
» download aqui

TERCEIRA IDADE: A MELHOR FASE DA VIDA?

A presente pesquisa objetivou mostrar se a terceira idade é a melhor fase da vida. A pesquisa foi realizada com 05(cinco) idosos que vivem em família e freqüentam grupos de terceira idade. Foi utilizado como instrumento uma entrevista contendo 04(quatro) perguntas abertas. Os resultados obtidos foram representados em forma de tabelas e quadros, explicitando a confirmação dos objetivos. Percebeu- se que a maioria dos participantes vivenciam a terceira idade de uma forma saudável e sem grandes transtornos. A pesquisa também mostrou que apesar dos preconceitos existentes com o idoso ainda assim pode-se passar por esta fase com grandes realizações, experiências adquiridas e com o sentimento de dever cumprido.Juntamente com o referencial teórico utilizado, observou-se que nossos objetivos foram alcançados e que servirá de auxílio para as pessoas que vierem a se interessar pela descoberta da terceira idade.Propomos que novas pesquisas sejam realizadas e palestras sejam efetuadas para um maior esclarecimento e propagação desse tema.
» download aqui

UM ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE AS CONSEQÜÊNCIAS DA FALTA DE LIMITES PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE CRIANÇAS DE CLASSE MÉDIA NA FAIXA ETÁRIA DE 6 A 9 ANOS : CONCEPÇÃO DE PROFESSORES.

O presente estudo teve por objetivo conhecer as conseqüências da falta de limites para o desenvolvimento social de crianças de 6 a 9 anos de classe média e que estudam em escolas da Rede particular do Ensino Fundamental no centro de Belém. Foi realizada uma investigação exploratória do fenômeno acima exposto que contou com a participação de cinco professoras, aplicando-se entrevista contendo questões norteadoras sobre a temática abordada. Diante dos resultados da pesquisa de campo, procedeu-se à análise dos dados que serviram de base para a construção da discussão dos aspectos definidores da falta de limites das crianças inseridas nas instituições educacionais já mencionadas. As informações obtidas foram importantes para a compreensão e entendimento do tema em foco, visto que corroboraram às considerações finais deste documento. As contribuições do referencial teórico fundamentaram às observações obtidas no trabalho, que trouxe assaz conhecimento à futuras pesquisas sobre a temática em ação. As argüições realizadas traduziram -se nos objetivos da pesquisa, contextualizando que a falta de respeito tem se mostrado a grande conseqüência da falta de limites, provocando um mal estar nos indivíduos que convivem diariamente com crianças que manifestam tal dificuldade. Ratificando que a ausência de limites provoca baixo rendimento escolar, dificuldades na interação social, baixa auto-estima e falta de solidariedade nas crianças afetadas. Considera-se que a participação dos pais no processo educativo infantil é de fundamental importância no combate a falta de limites e prevenção da manifestação de tal dificuldade de comportamento.
» download aqui

UMA ANÁLISE BEHAVIORISTA DA OBRA IL PRINCIPE DE NICCOLÒ MACHIAVELLI

O objetivo deste trabalho foi fazer uma análise da obra Il Principe de Niccolò Machiavelli a partir da teoria Behaviorista de Burrhus F. Skinner, ressaltando os métodos de controle descritos e defendidos por Machiavelli em sua literatura no contexto italiano do século XVI. Verificou-se a partir da análise comportamental desta obra a presença de idéias que concernem ao controle operante do comportamento, tais como: controle aversivo (punitivo ou reforçamento negativo), reforçamento positivo, controle verbal e por regras, assim como a presença de agências de controle tais como: agência governamental, agência religiosa, controle econômico e educação. Deste modo, conclui-se com este trabalho a existência de princípios do comportamento operante presentes ao longo de Il Principe, ressaltando que Machiavelli, estudando os aspectos políticos da sociedade italiana de seu tempo deu preferência ao uso de métodos de controle aversivo, defendo o uso do método punitivo por todo governante que almejasse se manter e conquistar o poder.
» download aqui

UMA ANÁLISE BEHAVIORISTA DA OBRA IL PRINCIPE DE NICCOLÒ MACHIAVELLI

O objetivo deste trabalho foi fazer uma análise da obra Il Principe de Niccolò Machiavelli a partir da teoria Behaviorista de Burrhus F. Skinner, ressaltando os métodos de controle descritos e defendidos por Machiavelli em sua literatura no contexto italiano do século XVI. Verificou-se a partir da análise comportamental desta obra a presença de idéias que concernem ao controle operante do comportamento, tais como: controle aversivo (punitivo ou reforçamento negativo), reforçamento positivo, controle verbal e por regras, assim como a presença de agências de controle tais como: agência governamental, agência religiosa, controle econômico e educação. Deste modo, conclui-se com este trabalho a existência de princípios do comportamento operante presentes ao longo de Il Principe, ressaltando que Machiavelli, estudando os aspectos políticos da sociedade italiana de seu tempo deu preferência ao uso de métodos de controle aversivo, defendo o uso do método punitivo por todo governante que almejasse se manter e conquistar o poder.
» download aqui

UMA ANÁLISE DAS CONSEQUÊNCIAS DE ATIVIDADES LÚDICAS NO DESENVOLVIMENTO BIOPSICOSSOCIAL DE CRIANÇAS HOSPITALIZADAS

O presente estudo teve por objetivo, partindo de uma análise comparativa entre dois hospitais, identificar e descrever aspectos que pudessem comprovar de que forma as atividades lúdicas desenvolvidas no contexto hospitalar podem contribuir para amenizar o sofrimento de crianças hospitalizadas. Participaram deste projeto seis crianças e seus respectivos acompanhantes, estando três internadas no hospital S.C (denominado de hospital A), e três no hospital S.C.M.P (denominado de hospital B) e uma pediatra de cada hospital que atendeu às três crianças respectivamente. Foi realizada uma análise qualitativa das falas dos acompanhantes e pediatras, coletadas através de roteiro de entrevista, e das observações realizadas com as crianças, coletadas através de roteiro de observação. Foram obtidas consideráveis informações que puderam apontar a eficácia das atividades lúdicas para amenizar o sofrimento de crianças hospitalizadas. Verificou-se diferenças de comportamento e sentimentos manifestados nos dois hospitais. Destaca-se ainda, a comprovação da necessidade de interação entre paciente e equipe de saúde, bem como, a presença da família para ajudar no processo de cura. Conclui-se ressaltando a necessidade de se lutar para a humanização do atendimento nas instituições hospitalares, podendo implementar as atividades lúdicas em tais instituições para facilitar o processo de cura e possibilitar à criança, um período de internação o menos estressante e traumático possível.
» download aqui

Documento sem título
UNAMA - UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA
Av. Alcindo Cacela, 287 - CEP 66060-902 - Belém - Pará - Brasil
nead@unama.br
Fone: (91) 4009-3197 FAX: (91) 4009-3196
Visualize melhor as páginas deste site em 800 X 600 pixels.